Talentos e Competências: Como identificá-los e utilizá-los?

Em tempos de muita competitividade no mercado e em busca, cada vez mais, por resultados, quais são os talentos necessários para encantar o cliente? Quais as competências necessárias para desenvolver um bom trabalho em vendas?

Entenda, as duas coisas (talento e competência), por mais que sejam essenciais para lidar com público e se dar bem no trabalho, são duas coisas diferentes.

Enquanto o TALENTO é aquela habilidade ou comportamento nato, que se expressam com prazer e facilidade natural, a COMPETÊNCIA é o comportamento ou a habilidade aprendida, desenvolvida. Por exemplo: uma pessoa que tem o TALENTO para cantar, naturalmente irá fazer isso, sem esforço, sem sofrimento e com muita facilidade, ao passo que aquele que não nasceu com esse talento e queira desenvolver essa COMPETÊNCIA, precisará fazer mais aulas, treinar mais, se dedicar mais para conseguir cantar com qualidade, porém, a dedicação poderá levá-lo a excelência, de acordo com a sua vontade e persistência.

Pois bem, a meu ver, ambos dão resultados se houver uma ATITUDE favorável.

A essa atitude favorável dou o nome especial de VONTADE DE FAZER ACONTECER.

Quando se tem vontade, conseguimos treinar a nossa debilidade, até transformá-la em COMPETÊNCIA.

Conheço um vendedor, que fazia serviços de free lance como animador de festas, se vestindo de palhaço e outros personagens, nunca havia vendido, porém, ao receber uma oportunidade de trabalhar como vendedor, empenhou-se em aprender as técnicas e hoje é o primeiro em vendas na empresa em que trabalha.

Ao líder, fica o papel de saber identificar o TALENTO e desenvolver a COMPETÊNCIA em cada um do seu time e esse trabalho começa na contratação. O processo de Recrutamento e Seleção precisa ser pensado, a fim de contratar a pessoa certa para o lugar certo e não apenas para preencher uma vaga urgente que está no momento sem ninguém para ocupá-la. Contratar a pessoa errada (sem o perfil adequado para aquela vaga), é ter a certeza de trabalho dobrado, ou até mesmo substituição a curto prazo, o que traz a empresa grandes prejuízos financeiros.

Seguem algumas dicas para contratar seu “TALENTO”:
  1. Comece a entrevista falando pouco de você e da empresa, dando assim, espaço para que o candidato mostre quem ele é. Assim você conseguirá descobrir quais são os seus maiores TALENTOS e COMPETÊNCIAS e descobrir se estão adequados ao cargo que você tem em aberto;
  2. Tente visualizar o candidato trabalhando, batendo metas, gerando resultados, te trazendo ideias novas, colaborando para o crescimento da empresa e se ele se comportar de forma contrária, sem atitude, sem energia, não contrate.
  3. Jamais contrate na dúvida! Se não ficar claro para você que é a melhor pessoa para o cargo, marque uma nova entrevista com o candidato, mude as perguntas, faça de novo um check list com as perguntas que faltaram no primeiro contato e tire as suas dúvidas. Lembre-se um “TALENTO” no local errado, não será um talento;
  4. Entreviste várias pessoas para o mesmo cargo; assim você não escolherá entre os menos piores, pois terá a opção para escolher o que de fato tem as COMPETÊNCIAS que você procura;
  5. Saiba exatamente quais os TALENTOS E COMPETÊNCIAS que o cargo exige, para ter clareza na hora de entrevistar;
  6. Não contrate seguindo seu coração! Tenha certeza que fez a escolha certa de acordo com as HABILIDADES E ATITUDES apresentadas na entrevista.

 

Mas se a pessoa já foi contratada e não está apresentando os resultados desejados? O que fazer? Por onde começar?

 

Comece identificando o talento do seu colaborador e dando oportunidade para que ele o use no seu dia a dia de trabalho. Percebeu que o cargo exige algumas COMPETÊNCIAS que o seu colaborador não tem? É sua hora de capacitá-lo ou realocá-lo em outra função.

É impossível dar bons resultados se ele não tem a competência para determinada função.

Quer um time de excelência? Capacite, dê feedback, persista em treinar no local de trabalho (on the job), aja de imediato. Não espere o contrato de experiência acabar para dizer ao colaborador que ele não está apto a ser contratado, não aguarde o mês acabar para contar que seus resultados não foram bons. Corrija o percurso, seja analítico e “afie seu machado”: leia, estude, participe de workshops, cursos e acima de tudo, seja o primeiro a acompanhar os resultados da sua equipe, afinal de contas, os resultados deles, são os seus!

 

Escrito por Flaviane Marques, Graduada em Recursos Humanos, Coach e Consultora de Projetos da Novo Marketing.

Recent Posts